Ética nas políticas públicas


A ética é fundamental na política. A falta de ética corrói e descredibiliza a nossa democracia, mas infelizmente os brasileiros, no geral, enxergam de modo limitado essa questão

O comportamento do político sem ética é visto no mensalão, nepotismo, peculato, tráfico de influência, dinheiro na cueca, desvio de verba pública para conta pessoal. Essas são notícias que nos chocam e nos indignam e naturalmente denunciamos como corrupção, porque nós vemos bem a corrupção do ser, do político, contudo também as políticas públicas precisam de ética.


A ética nas políticas é um conjunto de regras que assegura que as políticas desenvolvidas tem como fim o bem público. A ética das políticas esta diretamente ligada as necessidades e as urgência do povo, por isso é pautada por prioridades, enquanto que a ética do comportamento do político esta relacionado ao exercício da entidade política do político. Nesse sentido quando as políticas são elaboradas e executadas para o bem comum são éticas, mas quando, mesmo se o político não tiver nenhum ganho monetário, as políticas não atendem as prioridades e urgências da população temos uma outra forma de corrupção, pouco notada pelos brasileiros, mas que representa a falta de ética nas políticas de Estado.

Ao longo da nossa história fomos muito mais vítimas - e pior, passivas - da ausência de ética nas políticas do que da falta de ética dos políticos. A corrupção dos políticos desvia dinheiro público que poderia e deveria ser usado nas prioridades e nas urgências da população para ser usado em proveito próprio, todavia o Estado vem legislando e executando leis que não destinam esses recursos para o bem comum, isto é, independente da falta de ética no comportamento do político o dinheiro que deveria ser usado para o povo é corrompido com políticas públicas e leis desastrosas.

Recentemente o país gastou milhões em estádios e demais construções para a Copa do Mundo. Mesmo que os políticos não tenham se comportado como ladrões do dinheiro público desviando para si recursos públicos, essa política aprovada nas prefeituras, na câmara dos deputados, no Senado, nos estados e pela presidência da república é antiética, porque o povo tem urgências que devem ser priorizadas e que foram preteridas em detrimento de construções secundárias. No Brasil há regiões que falta água, há cidades que não tem escolas, há bairros sem posto de saúde, há ruas sem saneamento básico, casas sem esgoto e há pessoas que não tem nem o que comer, é uma corrupção, um constrangimento ético criar políticas públicas que preterem essas necessidades.

Brasileiro, negro, vascaíno, apaixonado por esportes, inclusive radicais,  amante de boa comida, de música e de cinema, escritor no tempo livre, questionador das banalidades, filósofo por amor e pensador por natureza, palestrante quando convidado e militante em prol da ética e de uma revolução na educação.
samuel .lfarias



 

Um comentário:

  1. Muito bom texto, Samuel. Obrigado por compartilhá-lo. Concordo contigo em gênero, número e grau.

    ResponderExcluir